&noscript=1"/>

Desenvolvimento Pessoal

Como ajudar as crianças a lidar com o divórcio - Dicas

Andrea W
Escrito por Andrea W em setembro 7, 2019
Como ajudar as crianças a lidar com o divórcio - Dicas
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como ajudar as crianças a lidar com o divórcio – Dicas

 

O que fazer para evitar problemas de longo prazo e promover a resiliência em crianças após a separação ou divórcio
Como ajudar as crianças a lidar com o divórcio – Dicas

 

Divórcio tornou-se a nova realidade das nossas crianças. Todos os anos, milhões de crianças em todo o mundo enfrentam problemas familiares e, em muitos países, as taxas de divórcio aumentam, sobre como ingressa com o divorcio no brasil leia mais aqui.  As crianças vivenciam essa separação profunda e pessoalmente, e o potencial de consequências negativas a curto e longo prazo pode ser real. 

Embora a separação dos pais represente riscos e justifiquem uma preocupação, uma pesquisa apontou que esses resultados não são os mesmos para todas as crianças, nem são inevitáveis.

Dessa forma, existem muitos fatores que podem reduzir os riscos e promover a resiliência das crianças.

Neste post, vamos mostrar as principais causas que podem afetar o bem estar dos filhos durante o processo de separação dos pais e o que fazer para amenizar.

Inscreva-se em nosso Canal no Youtube

Divórcio e os Impactos sobre o bem estar das crianças

Os três maiores fatores que podem abalar o bem estar das crianças durante e após a separação ou divórcio de seus pais estão potencialmente sob o controle dos próprios pais:

  • o grau e a duração da hostilidade durante o conflito;
  • a qualidade da paternidade oferecida ao longo do tempo e a qualidade do pai-filho;
  • o bem estar e a capacidade dos pais de funcionar de maneira eficaz.

Ao aprender a administrar seu conflito, os pais podem, de maneira eficaz, nutrir relacionamentos calorosos e amorosos com seus filhos. Todos os pais podem ter um efeito positivo e poderoso sobre seus filhos, mesmo quando passam por várias mudanças difíceis em suas próprias vidas.

Habilidades para lidar com a separação/divórcio

A importância dos papéis e aptidões dos pais em ajudar seus filhos a enfrentar o divórcio não pode ser super enfatizada porque são principalmente os pais que podem mitigar ou reverter resultados negativos potencialmente graves para seus filhos.

Entre os impactos do divórcio nas crianças estão emoções dolorosas como as seguintes:

  • tristeza;
  • confusão;
  • medo de abandono;
  • culpa;
  • equívocos;
  • raiva;
  • conflitos de lealdade;
  • preocupação.

Muitas crianças experimentam sentimentos de perda quando um dos pais sai de casa, quando um animal de estimação amado é deixado para trás, ou mesmo quando estão com um dos pais e sentem falta do outro. 

Em situações de intenso conflito e violência doméstica, as crianças podem ter uma sensação de alívio. Suas reações podem variar dependendo da idade, mas quase todas as crianças compartilham uma preocupação universal: “O que vai acontecer comigo?”

Consequências a curto prazo

Além de revelar essas emoções difíceis, a pesquisa também mostrou que as consequências negativas de curto prazo para as crianças após o divórcio incluem:

  • menor desempenho nos estudos;
  • ajuste psicológico ruim;
  • ajuste social e emocional e autoconceito negativo;
  • saúde física comprometida, especialmente em situações de alto conflito. 

Riscos a longo prazo

As ameaças de consequências a longo prazo para uma minoria significativa de crianças até a idade adulta, incluem:

  • piora na sensação de bem-estar;
  • baixo nível socioeconômico;
  • piora na saúde física;
  • vínculos emocionais mais fracos com seus pais; 
  • maior risco de divórcio em seu próprio casamento. 

Desafios para os pais

A paternidade através do divórcio apresenta desafios particulares, porque muitas vezes é difícil para os pais saberem o que seus filhos realmente pensam ou sentem sobre as mudanças em sua família. Por várias razões, a maioria das crianças fala muito pouco sobre o divórcio de seus pais e os sentimentos complexos que o cercam.

Outra dificuldade para a maioria dos pais é concentrar-se em alcançar objetivos parentais quando as múltiplas mudanças em suas vidas que precedem e seguem o divórcio causam enorme estresse.

De fato, o divórcio perde apenas para a morte do cônjuge como uma fonte importante de estresse. Além disso, para muitos pais, lamentar o fim do casamento e administrar suas próprias emoções dolorosas e cruas torna-se duplamente difícil concentrar-se nas necessidades de seus filhos.

Para alguns pais, continuar com sua hostilidade é um problema com enorme potencial para prejudicar seus filhos. Infelizmente, isso às vezes, é alimentado por um processo legal que pode alimentar sua visão de si mesmos como adversários e se concentrar na culpa e na retribuição, e não nos melhores interesses das crianças. O conflito em curso também corrói a educação dos filhos, o que, por sua vez, contribui para os problemas emocionais e comportamentais das crianças.

Apesar dessas dificuldades, muitos pais encontram maneiras de fazer das necessidades de seus filhos uma prioridade e aprendem a educar com eficácia para que seus filhos possam se concentrar nas prioridades da infância – aprender e crescer – em vez de cuidarem dos pais ou dos mediadores.

Portanto, muito pode ser feito para evitar problemas de longo prazo e promover a resiliência em crianças após a separação ou divórcio.Refinar a compreensão sobre o que os pais podem fazer e o que os profissionais de orientação podem oferecer a eles é o caminho para que o processo seja amenizado.

Inscreva-se em nosso Canal no Youtube

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *