Como apoiar os idosos durante a pandemia do COVID-19

Notícias

Como apoiar os idosos durante a pandemia do COVID-19

Andrea W
Escrito por Andrea W em abril 13, 2020
Como apoiar os idosos durante a pandemia do COVID-19
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A pandemia do COVID-19 está afetando a população global de maneiras drásticas, mas em muitos países, os idosos enfrentam mais ameaças e desafios no momento.

Embora todas as faixas etárias corram o risco de contrair COVID-19, as pessoas mais velhas são mais propensas a desenvolver doenças graves.

Isso ocorre devido a alterações fisiológicas decorrentes do envelhecimento e possíveis condições de saúde subjacentes.

“Apoiar e proteger os idosos que vivem sozinhos na comunidade é assunto de todos”, disse o dr. Hans Henri P. Kluge, diretor regional da OMS para a Europa, dirigindo-se a jornalistas em uma recente entrevista virtual. 

“Estou lembrando aos governos e autoridades que todas as comunidades devem ser apoiadas para oferecer intervenções para garantir que os idosos tenham o que precisam.

Todos os idosos devem ser tratados com respeito e dignidade durante esses tempos.

Lembre-se, não deixamos ninguém para trás.

Nesse sentido, vamos conhecer os cuidados necessários ao idosos nesta fase de pandemia. 

IDOSOS E O RISCO DUPLO DURANTE A PANDEMIA

Em sua declaração de abertura, o Dr. Kluge apresentou números-chave relacionados ao desenvolvimento do COVID-19 na população de idosos.

“Os idosos têm um risco significativamente aumentado de doença grave após a infecção pelo COVID-19. 

Esta é uma observação importante para a região europeia: dos 30 principais países com a maior porcentagem de idosos, todos, exceto um (Japão), são nossos Estados-Membros na Europa.

Os países mais afetados pela pandemia estão entre eles. ”

Mais de 95% dessas mortes ocorreram em pessoas com mais de 60 anos. Mais de 50% de todas as mortes envolveram pessoas com 80 anos ou mais.

Os relatórios mostram que 8 em cada 10 mortes estão ocorrendo em indivíduos com pelo menos uma comorbidade.

Em particular aqueles com doença cardiovascular, hipertensão e diabetes, mas também com uma série de outras condições subjacentes crônicas.

Juntamente com um painel de especialistas – Manfred Huber, Coordenador de Envelhecimento Saudável, Deficiência e Cuidados de Longo Prazo na OMS/Europa;

Catherine Smallwood, oficial sênior de emergência da OMS/Europa;

e Alana Officer, chefe da unidade, mudança demográfica e envelhecimento saudável na sede da OMS – o Dr. Kluge respondeu a perguntas sobre os desafios enfrentados pela população idosa e por aqueles que a apoiam e cuidam no contexto do surto de COVID-19.

O apoio às pessoas idosas, suas famílias e seus cuidadores é uma parte essencial da resposta abrangente dos países à pandemia.

Durante os períodos de isolamento e quarentena, os idosos precisam de acesso seguro a alimentos nutritivos, suprimentos básicos, dinheiro, remédios para apoiar sua saúde física e assistência social. 

A divulgação de informações precisas é fundamental para garantir que as pessoas mais velhas tenham mensagens e recursos claros sobre como manter-se física e mentalmente saudáveis ​​durante a pandemia e o que fazer se ficarem doentes.

ROTINA SAUDÁVEL NA QUARENTENA

As respostas dos participantes do painel destacaram a importância de manter um estilo de vida saudável enquanto em quarentena ou isolado.

As pessoas idosas geralmente dependem do apoio das comunidades e dos prestadores de cuidados para manter as rotinas diárias.

Eles precisam permanecer ativos e comer refeições nutritivas e equilibradas. 

A saúde mental durante períodos de ansiedade também é uma consideração importante.

Encontrar maneiras de permanecer socialmente conectado é ainda mais importante para essa faixa etária, pois muitos não têm acesso fácil às plataformas digitais. 

O Dr. Kluge transmitiu uma mensagem especial aos telespectadores mais jovens:

“Se manter seus avós em segurança significa que você não pode visitá-los pessoalmente, converse com eles todos os dias para que eles não se sintam sozinhos.

Distanciamento físico não é isolamento social. ”

Os profissionais de saúde e assistência social desempenham um papel crítico na prestação de cuidados de longo prazo às pessoas idosas.

“Já antes da pandemia do COVID-19, eles trabalhavam em condições desafiadoras, seja na comunidade ou em clínicas de repouso.

A situação atual é um lembrete doloroso para não cortar orçamentos para serviços essenciais”, enfatizou o Dr. Kluge. 

“Nossos heróis, pessoas da linha de frente, como enfermeiros e profissionais de saúde, dão o melhor de si todos os dias – precisamos fornecer a eles as informações corretas, treinamento e equipamentos de proteção individual”.

IDOSOS E A RESPONSABILIDADE COLETIVA 

Para encerrar, o Dr. Kluge resumiu suas três mensagens principais, destacando que o combate ao COVID-19 é uma responsabilidade coletiva:

Enquanto as pessoas mais velhas correm maior risco do COVID-19, todos nós, em todas as idades, precisamos agir em solidariedade para impedir a disseminação do vírus pela comunidade.

É crucial apoiarmos igualmente todos os profissionais de saúde e assistência social e dar atenção especial àqueles que prestam serviços de enfermagem e assistência social a pessoas idosas.

Como vimos, apoiar e proteger os idosos que vivem sozinhos na comunidade é assunto de todos.

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *