COVID-19: Não há problema em sentir-se oprimido e improdutivo

Notícias

COVID-19: Não há problema em sentir-se oprimido e improdutivo

Andrea W
Escrito por Andrea W em março 31, 2020
COVID-19: Não há problema em sentir-se oprimido e improdutivo
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

 

Há muita inspiração, coragem e entusiasmo sendo exibidos nas mídias sociais na luta contra o COVID-19. Nós, como comunidade humana, estamos aproveitando ao máximo essa situação. Embora circunstâncias terríveis nos confinem em nossas casas, poderíamos fazer limonada com esses limões amargos. E pão fresco também.

É uma coisa engraçada, esse paradoxo dentro da pandemia. Uma coisa terrível está acontecendo no mundo ao nosso redor, ou em nosso próprio mundo pessoal. Muitas pessoas estão doentes ou morreram. 

Muitas pessoas, incluindo nós mesmos ou aqueles que conhecemos, perderam o emprego. Muitos estão vivendo com medo. No entanto, quando a vida como a conhecíamos começou a se encerrar, ficamos maravilhados por ter tempo para as coisas simples. Já ouvi muitas pessoas falarem sobre a simples alegria encontrada em fazer uma caminhada (adequadamente distanciada) todos os dias.

Celebramos a inovação em torno da conexão. Temos mais tempo para conversas significativas, com pessoas que não temos tempo há anos. Muitos compartilharam que essa experiência está nos ensinando, como um tapa na cara, o que mais importa. Apreciamos profundamente as coisas que tomamos como garantidas. Essas idéias são boas, é claro.

Mas, diante de todas a novas possibilidades que se abriram com o confinamento, sentimo-nos oprimidos e improdutivos. Como lidar com isso? 

PERMITA-SE TAMBÉM SOFRER NO CONFINAMENTO CONTRA O COVID-19

Porém, quando a novidade de tudo isso começou a desaparecer e os exemplos inspiradores se acumularam, parecia que as possibilidades se transformaram em pressão. Agora que muitos de nós estamos confinados em nossas casas, precisamos fazer coisas importantes, divertidas ou criativas.

Podemos usar o tempo extra para fazer cursos! Crie obras de arte! Escreva livros! Redecore! Não devemos perder um momento do presente de confinamento. Nós devemos tirar o máximo proveito disso!

Acredito que, além de celebrar a coragem humana de superar nossas circunstâncias, precisamos dar permissão um ao outro para sofrer. Ter medo. Para sentar com nossas emoções. Para diminuir a velocidade, se precisarmos (e conseguirmos).

Não há nada de errado em ser produtivo ou criativo. Pode ser uma maneira útil e construtiva de lidar. Mas também devemos permitir que o espaço não seja “incrível”. Nosso mundo não enfrenta algo assim há mais de um século. É muito. Está tudo bem, e até apropriado, não estar bem.

Algumas pessoas podem se sentir como fracassos porque não estão “aproveitando o momento” o suficiente dentro dessa pandemia. Porque eles estão lutando para lidar com tudo. 

Impulsionado por notícias esperançosas (como o relatório de distanciamento social pode estar retardando o vírus em Nova York). Mas o humor geral tem sido sombrio. Sofremos com histórias de médicos na Itália. Existe o impacto econômico devastador. É tudo muito.

EXPLORE TAMBÉM SUAS LIMITAÇÕES 

Se você está explorando novos reservatórios de força e inspiração, celebre isso. Você pode usar sua energia para ajudar outras pessoas também. Mas se você está realmente lutando enquanto vê tudo se desenrolar, sentindo medo quando essa coisa se aproxima ou lamentando suas próprias perdas reais, essa é uma reação normal.

Há quem prefira ser um “herói”, alguém que se eleva acima das circunstâncias para incentivar e ajudar os outros. Precisamos de nossos heróis, com certeza. Mas, às vezes, devemos simplesmente deixar-nos levar por uma situação.

Lamentar o que está acontecendo, não saber o que fazer a seguir. Ser bagunçado. Para lidar com as coisas imperfeitamente. Não ter nada “grandioso” para compartilhar com o mundo no momento.

Permita-se sentir a realidade do que está passando durante a pandemia de COVID-19. Estenda a mão, se isso ajudasse a conversar com alguém (provavelmente o faria). Registre seus sentimentos no diário. Você não precisa apresentar um rosto corajoso ao mundo, se estiver passando por um momento difícil.

Se as emoções negativas ameaçarem sobrecarregar, encontre um profissional de aconselhamento que trabalhe com as pessoas virtualmente ou por telefone.

Vou repetir: se você sente que tudo isso é demais – é porque é. Comente!!

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *