Ajudando as crianças a abraçarem grandes emoções

Artigos

Ajudando as crianças a abraçarem grandes emoções

Andrea W
Escrito por Andrea W em setembro 21, 2020
Ajudando as crianças a abraçarem grandes emoções
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O que mais desejamos para nossos filhos é que sejam felizes.

Ao enfrentar tempos de crise, ou simplesmente os altos e baixos regulares da vida, o que podemos fazer para apoiar a busca de nossos filhos pela felicidade sustentável?

Ser feliz esta no topo da lista de todos, mas nossas ideias sobre o que isso significa e como “fazer” acontecer parecem pouco claras, na melhor das hipóteses, para não mencionar que estão um pouco fora de sincronia com a forma como o mundo realmente funciona. 

Os pais querem que seus filhos façam parte do time, ganhem um papel na peça, sejam aceitos na faculdade certa, permaneçam fortes e saudáveis, tenham bons amigos, nunca passem por perdas ou luto, e a lista continua. 

Ao ouvir a poesia de cada pai sobre seus belos e amorosos sonhos para o futuro de seus filhos, percebemos que “felicidade” é  definida como o desejo de que nunca se sintam decepcionados ou que tudo em suas vidas seja perfeito.

Você vê o problema com essa versão de felicidade, certo? Vamos saber porque.

A FELICIDADE ESTÁ NO TOPO  

Se você tem filhos, conhece o sentimento: o desejo profundo de consertar coisas que não acontecem do jeito deles.

Essa necessidade de administrar e superar suas possíveis preocupações, frustrações e tristezas e vê-los “felizes”.

Quando se trata de ajudar nossos filhos a serem felizes de forma verdadeira e sustentável, a ideia – tão comum em nossa sociedade – de que a felicidade é uma meta final, um lugar aonde se chegar ou algo a se alcançar é o primeiro obstáculo.

Um dos momentos mais comuns em que os pais se travam é quando estão se preocupando com os filhos.

Se você tem filhos, conhece o sentimento: o desejo profundo de consertar coisas que não acontecem do jeito deles.

Essa necessidade de administrar e superar suas possíveis preocupações, frustrações e tristezas e vê-los “felizes”.

NEM TUDO É FÁCIL

As tentativas de fazer com que tudo corra bem para nossos filhos e de que as coisas sigam seu caminho para a felicidade, embora muitas vezes bem-intencionadas, têm algumas consequências infelizes.

Embora possamos tentar microgerenciar (imaginando que estamos ajudando nossos filhos), ao fazer isso, não estamos ensinando a eles algumas das verdades básicas da vida e como trabalhar com elas. 

A mais óbvia dessas verdades é que às vezes as coisas são difíceis. Às vezes as coisas não acontecem do nosso jeito, às vezes ficamos desapontados.

Às vezes, o que está acontecendo em nosso mundo é inevitavelmente tumultuado e assustador.

Nem sempre podemos proteger nossos filhos dessa verdade, por mais que queiramos fazer isso.

É, igualmente verdade: há maneiras de trabalhar com tudo isso.

Como o fundador da redução de estresse com base na atenção plena, Jon Kabat-Zinn

Nossa capacidade de apoiar a felicidade de nossos filhos está diretamente relacionada à nossa capacidade de ajudá-los a ver claramente.

A capacidade de defender nossa posição e apoiá-los no aprendizado é essencial para o bem-estar deles e o nosso. 

Como o fundador da redução de estresse com base na atenção plena, Jon Kabat-Zinn, aconselha: “Você não pode parar as ondas, mas pode aprender a surfar”.

Nosso trabalho é ensinar nossos filhos a ver claramente as ondas que a vida lhes envia e dar-lhes aulas de surf.

E, claro, estar lá com amor quando uma ou duas ondas os pegam de surpresa.

Então, como podemos modelar o ser com o que ajuda nossos filhos a aprenderem essa verdade crucial na vida?

Como os ensinamos a surfar? Siga a leitura.

5 ETAPAS PARA NUTRIR A RESILIÊNCIA EMOCIONAL DE SEU FILHO 

Quando seu filho está lutando, aqui estão algumas sugestões:

1. VERIFIQUE COM VOCÊ MESMO 

Você precisa ser capaz de lidar com isso antes de poder apoiar habilmente seu filho.

2. ESTEJA LÁ PARA VOCÊ 

É um desafio aceitar realmente que todos, inclusive seu filho, passarão por dificuldades na vida. Apoie-se em permanecer com esta realidade.

Você pode tentar dizer a si mesmo algo como: “Isso é difícil. Sei que meu filho, como todas as crianças, terá lutas e experimentará todas as dificuldades de ser humano em um mundo incerto.

Como pai, vê-los lutando será difícil para mim também. Estou aqui por conta própria através deste processo ”. 

3. AJUDE-OS A NOMEAR  

Identifique os sentimentos de seu filho para ajudá-lo a fazer o mesmo!

Eles estão tristes? Confuso? Bravo? Assustado?

Nomear os sentimentos é uma maneira poderosa de dar um passo atrás em sua intensidade, o que reforça a capacidade de trabalhar com grandes emoções.

4. USE O  “E”

Por exemplo: “Sei que é difícil e estou aqui para ajudá-lo”.

Ou, “Eu sei que você está chateado (ou entediado ou desapontado …), e você vai ficar bem.”

Junto com o nome, ofereça gentileza e aceitação pelo fato de que eles estão sofrendo, ao mesmo tempo que os encoraja que esses sentimentos não são nada com que eles não possam lidar. 

Resista à tentação de corrigir, aconselhar ou contornar o problema.

Isso apoia sua capacidade de estar com o que é gentil e curioso e amplia sua janela de tolerância para lidar com situações e emoções difíceis. 

5. AJUDE-O A ENCONTRAR A CALMA 

Dê ao seu filho estratégias para acalmar o sistema nervoso.

Abaixo estão algumas técnicas de respiração adequadas para crianças que você pode demonstrar e fazer com elas. 

PRÁTICAS DE RESPIRAÇÃO CONSCIENTE PARA CRIANÇAS 

RESPIRAÇÃO PELA BARRIGA

Ao inspirar, a barriga se expande ligeiramente; e ao expirar, ela se contrai. 

RESPIRAÇÃO ATENTA 

Simplesmente perceber a respiração e senti-la se mover no corpo.Diga palavras e quando trabalhar com jovens.

Por exemplo, na inspiração, sou um lago e na expiração, estou calmo.

Esta técnica pode ser adaptada para usar qualquer visual e explorar o poder da imaginação.

RESPIRAÇÃO DE URSO DE PELÚCIA  

Esta é uma variação da prática de respiração abdominal para os mais pequenos.

Faça-os deitarem com um ursinho de pelúcia ou bicho de pelúcia na barriga e observe enquanto ele se move para cima e para baixo enquanto eles respiram, como se estivessem embalando-o para dormir.

RESPIRAÇÃO QUADRADA 

Esta é uma ótima ferramenta para crianças mais velhas. Respire contando até quatro.

Segure e conte até quatro. Expire contando até quatro. Segure e conte até quatro. Faça várias rodadas e volte à respiração normal.

Depois de passarem por esses exercícios juntos, se as emoções ainda forem muito fortes, muitas vezes é útil redirecionar a atenção de seu filho para uma atividade que o ajude a mudar sua mentalidade.

Eles podem ouvir música, fazer algumas poses de ioga suaves, fazer um projeto de artesanato ou tomar um banho de espuma.

ENSINE E DÊ FERRAMENTAS 

Ensinar às crianças que sentir toda a gama de nossas emoções à medida que elas surgem não é algo a ser evitado e que isso é consistente com a felicidade é algo poderoso.

Dar a eles ferramentas para lidar com suas emoções – não ser absorvido por eles, ou evitá-los e negá-los – é um presente para toda a vida.

 

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *