4 forças emocionais que moldam cada família da sociedade

Artigos

4 forças emocionais que moldam cada família

Andrea W
Escrito por Andrea W em julho 27, 2020
4 forças emocionais que moldam cada família
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A teoria dos sistemas familiares conceitua indivíduos dentro do sistema familiar como existindo em campos emocionais, e não em vazios psicológicos individuais.

Em outras palavras, as relações entre os participantes de um sistema são vistas como um indicador mais válido do funcionamento individual do que o funcionamento psicológico individual retirado de seu contexto sistêmico.

O campo emocional da família é como campos gravitacionais de planetas que orbitam o sistema solar.

Cada membro da família trabalha em conjunto, consciente ou inconscientemente, para manter o equilíbrio emocional. 

O sistema emocional que existe nas famílias é uma força amplamente inconsciente.

Como um sistema pequeno e natural, as famílias são organizações emocionais fundamentais, dentro da sociedade em geral. 

Assim, vamos saber neste artigo, quais são as forças que vem da emoção e acabam moldando as famílias. 

FORÇAS QUE NÃO VEMOS POR TRÁS DAS FAMÍLIAS 

Os processos emocionais nas famílias também são encontrados em todas as dimensões das camadas cada vez maiores e mais complexas da sociedade.

Essas quatro forças emocionais estão por trás de todo sistema familiar:

DINÂMICA DE POTÊNCIA 

Hierarquias e funções implícitas nas famílias governam o status quo.

Em famílias saudáveis, todos os membros têm uma certa quantidade de poder e sabem como exercê-lo, sabem como se envolver em cuidados e conflitos sem desestabilizar o equilíbrio tribal.

Harry Aponte, em 1976 já dizia: “Os membros da família devem ter poder suficiente para poder proteger seus interesses pessoais na família o tempo todo, mantendo o bem-estar dos outros membros e da família como um todo.”

Quando a extremidade positiva de um ímã é colocada contra a extremidade negativa de outro, uma força invisível os une.

Quando as extremidades positivas dos ímãs são colocadas uma contra a outra, elas se repelem.

Pedaços de metal não carregado não atraem nem repelem. Existe magnetismo nos sistemas emocionais das famílias e, em maior ou menor grau, entre todos os membros. 

A força entre dois é inclinada em um terço, e assim por diante.

O desafio da terapia é como trabalhar terapeuticamente com processos que se ligam e se soltam, gerando flexibilidade e instilando resiliência. 

Para crescer, as pessoas devem experimentar a liberdade dentro dos impulsos e de forças poderosas e auto-perpetuadoras nas quais os problemas – e as famílias – se mantêm.

O ponto crucial para as famílias é manter distribuições ordenadas e relativamente equitativas de poder; flexível e confiável, confiável e flexível.

Quando um membro tem todo o poder, é uma ditadura; quando ninguém assume responsabilidade, é anarquia.

O poder precisa de autoridade; autoridade precisa de balanços.

REGRAS INVISÍVEIS 

Em todas as famílias, regras invisíveis influenciam o modo como os membros da família pensam, sentem e se comportam, como os problemas são resolvidos e como as decisões são tomadas.

As regras fluem dentro da estrutura de poder, formada em resposta a demandas de personalidade, tradição ou opressão que fluem através das gerações.

De fato, a  maioria das  regras da família é invisível e molda suposições e atitudes, crenças e comportamentos.

Regras invisíveis são blocos de construção da cultura familiar. A lealdade às expectativas reforça as demandas sutis, difundidas e muitas vezes ocultas, e cada família é única.

A dança da emoção nas famílias é moldada pelo orgulho e culpa, amor e vergonha.

Regras invisíveis contribuem para a estabilidade e coesão à medida que as famílias encontram e respondem aos desafios em evolução e às mudanças nas condições de vida. 

As lutas pelo poder geralmente envolvem regras invisíveis, e até mesmo as raras experiências de reconhecimento aberto podem atuar como contrapesos necessários para garantir flexibilidade geral no sistema familiar.

As flexibilidades na gama de subsídios nas famílias diminuem a luta desnecessária pelo poder e tendem a diminuir também uma série de ansiedades emocionais crônicas.

As famílias transmitem mitos, ideologias, estilos emocionais e ansiedades crônicas de uma geração para a seguinte.

Inclinações que fluem para fora guiam a execução e o fluxo de justiça e misericórdia entre seus membros e a sociedade.

FEEDBACK HOMEOSTÁTICO 

O poder e as regras são sustentados por forças reguladoras e sistêmicas que constituem um tipo de psique familiar.

Uma família é um sistema emocional de forças poderosas e invisíveis que influenciam fortemente o funcionamento de seus membros. 

Quando os comportamentos individuais ameaçam o equilíbrio da família, a emoção e o comportamento correspondentes de outros membros se envolvem em ações de contrapeso destinadas a minimizar desvios, a fim de preservar o equilíbrio.

Todos na família participam do sistema emocional.

Um membro pode tornar-se relacionalmente distante e outro pode ficar deprimido, resultando no retorno do membro distante a um nível mais profundo de envolvimento emocional. 

Um membro pode deixar de cumprir uma função e outro pode ficar com raiva.

Um membro pode separar-se da família para recuperar a auto-compostura ou pode se envolver em uma negociação de compromissos que proporcionem uma mudança mais agradável no funcionamento do papel da família.

O comportamento dos membros da família flui do clima emocional do sistema familiar, não muito diferente das operações de um termostato, que aciona o resfriamento regulatório quando as temperaturas estão altas e o aquecimento regulador quando as temperaturas estão baixas.

De maneira semelhante, mas muito mais complexa, as famílias têm muitos tipos diferentes de sensores termostáticos.

Loops de feedback emocional nas famílias moldam grande parte de seu comportamento.

Os terapeutas de família são treinados para intervir no nível do sistema emocional da família.

INTERDEPENDÊNCIA DELICADA

Os processos de relacionamentos emocionais nas famílias influenciam muito a negociação de poder, regras e equilíbrios no sistema;

é exatamente por isso que essa qualidade particular das famílias, sua delicada interdependência, é a mais predominante.

O grau de coesão de uma família está relacionado ao seu grau de adaptabilidade, e essa está relacionada aos seus estilos de relação.

Quando um membro da família experimenta desconexão emocional da família, seus próprios sentimentos estabelecem os termos de sua realidade. 

Os fatos da questão são quase supérfluos. A realidade é que as famílias, unidas ou rigidamente limitadas, afetam profundamente a experiência emocional, os vieses cognitivos e as tendências comportamentais de seus membros.

O funcionamento humano não é meramente psicológico; é marcadamente ecológico.

Os estressores crônicos nas famílias causam sintomas que refletem socialmente os problemas psicológicos individuais, desde transtornos de depressão ou ansiedade a vícios e dependências compulsivos, incluindo alcoolismo e afazeres. 

O estresse volátil do relacionamento nas famílias pode até levar ou agravar doenças físicas.

Como vimos, poucas facetas da sociedade são tão incompreendidas e subestimadas quanto a dinâmica psicológica intangível que ocorre nos sistemas emocionais de nossas famílias.

O que achou do conteúdo? comente!

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *