Você pode realmente trabalhar de forma produtiva em home office?

Artigos

Você pode realmente trabalhar de forma produtiva em home office?

Andrea W
Escrito por Andrea W em maio 27, 2020
Você pode realmente trabalhar de forma produtiva em home office?
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

o home office como solução na pandemia
o home office como solução na pandemia

Se você tiver a sorte de ter um emprego em que possa atuar em home office, pode estar se perguntando como sua produtividade foi afetada pela pandemia do COVID-19.

Bem como quais são as decisões dos empregadores para permitir o trabalho a distância.

Você está mais apto a usar seu tempo agora que não precisa se deslocar fisicamente?

Dependendo de quão longe você mora do local de trabalho, você pode economizar um tempo precioso e gastar em família, lazer ou simplesmente desestressar.

Se o seu trabalho envolve viagens noturnas, a economia de tempo e energia é ainda maior.

Muitas pessoas estão conhecendo o que é trabalhar em casa pela primeira vez, outras já conhecem esse mercado, mas afinal, ele é realmente produtivo?

É sobre isso que iremos falar neste post.

COMO SER PRODUTIVO EM HOME OFFICE 

Assim como seu relógio agora tem horas adicionadas, seu orçamento de roupas e acessórios pode estar reduzindo. 

Você não precisa mais se preocupar com suas roupas de trabalho, ou pelo menos com as roupas que não são visíveis nas chamadas de vídeo.

Mesmo que os salões de beleza e os barbeiros estejam abrindo suas portas novamente, você pode achar que reservar um trabalho caro de corte ou cor pode não valer a pena.

Sim, você está perdendo algumas formas agradáveis ​​de diversão, mas talvez você sinta que é bom não ser forçado a gastar seu dinheiro suado apenas para manter a aparência.

Embora agora você tenha tecnicamente mais tempo e energia para se dedicar ao seu trabalho, sem todas as questões de estética para manter, pode lhe ocorrer que sua capacidade de se concentrar está diminuindo. 

Pois pode haver crianças em casa que você precisa alimentar e ajudar nas tarefas online de escola e mesmo que você não tenha uma família, as tentações de evitar o trabalho parecem estar em toda parte. 

No local de trabalho, você tinha algumas distrações na forma de bate-papo com pausas para o almoço, mas nunca atraiam você para compras online, videogame ou simplesmente um cochilo no meio da tarde.

Não é de admirar que, com essa lista de vantagens e desvantagens (e mais), as empresas estejam se perguntando o que podem estar ganhando ou perdendo nesse novo ambiente de trabalho. 

Alguns podem estar economizando dinheiro por não terem de manter um espaço para escritório, e os próprios chefes descobrem que suas despesas estão reduzindo pela primeira vez na história. 

O HOME OFFICE ESTÁ TIRANDO O MÁXIMO POSSÍVEL DE VOCÊ?

Uma pesquisa entrevistou 325 trabalhadores em domicilio, metade dos quais estava na categoria home office pela primeira vez. 

As descobertas sugeriram que a queda na produtividade associada ao status recém-encontrado chegou a cerca de 1%;

surpreendentemente, as pessoas com crianças mostraram menos queda (2%) do que aquelas sem ninguém além delas mesmas para cuidar (uma queda de 3%). 

Citando a “falta de prática de babá” para os adultos, não as crianças, as pessoas que moravam sozinhas eram mais facilmente atraídas a assistir  a Netflix e verificar seu feed no Twitter. 

As pessoas que estimam sua própria perda de produtividade dificilmente são as fontes mais confiáveis. O que dizem seus chefes? Embora seja muito cedo para ter certeza, os supervisores ecoam o que seus funcionários dizem, mas apenas para produtividade a curto prazo. 

A longo prazo, como as empresas começam a perder parte do bate-papo ocasionalmente produtivo no bebedouro.

É possível que o efeito home office comece a mostrar uma virada decididamente descendente, pelo menos em alguns setores.

Pode ainda as empresas estarem sem dados concretos, mas estudos sobre a psicologia do efeito home office podem fornecer informações sobre quais fatores podem contribuir para uma melhor produtividade entre os teletrabalhadores em comparação com os trabalhadores em ambientes comuns de trabalho. 

CONTROLES EMOCIONAIS

Um local de trabalho que exige que você siga um conjunto estrito de controles comportamentais no trabalho pode ser capaz de impor a conformidade com certas diretrizes, mas a que custo psicológico?

Sem esses controles, você poderia ser mais produtivo porque tem mais energia em geral e é mais feliz?

De acordo com uma equipe internacional de psicólogos aplicados, liderada por Lilian Gombert e colegas da Universidade Técnica de Dortmund (2020), um trabalho com demandas de autocontrole (SCDs) exige que os funcionários se envolvam.

E isso inclui “inibir, modificar ou substituir espontaneamente e automaticamente reações, impulsos, emoções e desejos que, de outra forma, interfeririam no comportamento direcionado à meta”. 

Essas demandas no local de trabalho incluem ser forçado a apresentar uma certa aparência externa. 

E a se envolver em um gerenciamento de impressões pesadas, a resistir a distrações e a trabalhar em uma tarefa, não importa o quanto você não goste.

DEMANDAS DE AUTOCONTROLE EXIGEM MOMENTOS DE DESCONEXÃO

O esforço envolvido no atendimento desses SCDs pode afetar sua saúde psicológica através do esgotamento do ego, ou “sentimentos de exaustão, baixa força de vontade e capacidade reduzida de autocontrole”.

Forçado a executar de acordo com as demandas de autocontrole no local de trabalho, você volta para casa mentalmente exausto.

A única maneira de resistir ao impacto prejudicial em seu equilíbrio é desanexar-se psicologicamente do trabalho, permitindo que você se recupere em suas horas fora do trabalho.

Utilizando uma abordagem que rastreia variações diárias nos SCDs com resultantes na “vitalidade subjetiva” em casa, os pesquisadores alemães recrutaram 86 participantes (64% do sexo feminino) empregados. 

A equipe variava de profissionais de saúde a consultores, com idades entre 18 e 63 anos, com média de 40 anos. 

Duas vezes durante 10 dias úteis consecutivos, eles preencheram questionários online.

A solicitação era que relatassem as demandas de autocontrole encontrados no trabalho, como suprimir a raiva, resistir a distrações e superar a resistência interna a tarefas desagradáveis ​​no trabalho.

À noite, eles avaliaram sua capacidade de concentração (esgotamento do ego), sentimentos de energia e capacidade de se desapegar do trabalho.

O QUE NÃO É BOM DO HOME OFFICE

Do lado negativo, os dias com altos níveis dessas demandas serviram para diminuir os sentimentos de vitalidade através da rota proposta de esgotamento do ego.

Em outras palavras, os participantes simplesmente se sentiram exaustos pelas demandas emocionais de seus empregos.

O único dispositivo de proteção que eles tinham era se distanciar mentalmente de seus empregos, colocando-o em segundo plano no sentido de prioridades pessoais.

Os resultados sugerem que a situação que pode vir a ter benefícios que superam os custos;

pelo menos em trabalhos que exigem extrema conformidade com demandas externas, forçando-os a suprimir sua individualidade. 

Sua vitalidade não se esgota por precisar colocar o tipo de fachada falsa que pode ser exigida pelo seu trabalho pessoal (exceto em uma chamada de videoconferência).

Como resultado, você pode realmente ter mais energia e uma maior sensação de prazer em geral.

Não precisando se desapegar psicologicamente do seu trabalho, você também pode se sentir mais fortemente investido em ver sua empresa ter sucesso.

Em resumo, ao calcular a produtividade no home office, pode valer a pena considerar o papel do estresse no local de trabalho físico como um fator que você não precisa mais enfrentar.

À medida que seu investimento psicológico aumenta, também aumentam seus sentimentos de satisfação, tanto no trabalho como na vida doméstica.

Você está atuando em home office? O que achou do conteúdo?

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *