&noscript=1"/>

Desenvolvimento Pessoal

10 maneiras de capacitar meninas ao empoderamento

Andrea W
Escrito por Andrea W em dezembro 3, 2019
10 maneiras de capacitar meninas ao empoderamento
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Se você é mãe de menina, e passa muito tempo refletindo sobre como criá-la para ser uma mulher forte, independente e capaz, e deseja que ela não cometa os mesmos erros que você, reflita sobre o exemplo: 

“Fiquei quieta quando um grupo de garotos me assediou sexualmente até a sétima série, porque tinha medo de que as coisas piorassem para mim se eu falasse.

Passei a maior parte dos meus 20 anos acreditando que os meninos só gostariam de mim se eu usasse roupas reveladoras e agisse de forma “divertida” e “sexy”. 

Tentei ser “um dos garotos” quando trabalhei para uma revista masculina, e até me fiz acreditar que objetivar mulheres era bom porque não queria ser conhecido como uma daquelas “garotas feministas”.

Viva e aprenda.Fale com sua filha todos os dias sobre como as garotas podem fazer QUALQUER COISA que os garotos fazem.

Leia muito sobre como capacitar as garotas e veja agora 10 maneiras de ajudá-las.

COMO EMPODERAR AS MENINAS PARA SEREM MULHERES FORTES 

Neste cenário onde as mulheres ocupam cargos e funções ainda com salários diferenciados e a violência é ainda muito grande, conheça algumas formas de incentivar sua filha a mudar essa realidade desde menina.

1. AUTO-ACEITAÇÃO DO MODELO

Evite falar sobre os problemas do seu corpo na frente da sua filha.

Tente se alimentar de forma saudável, exercitar-se e demonstrar uma imagem corporal positiva.

Você é o primeiro e mais importante modelo dela, então mostre a ela que você aceita e se ama.

2. NÃO SE CONCENTRE NA APARÊNCIA DELA

Embora possa parecer inofensivo dizer às meninas como elas são fofas ou bonitas, isso pode levá-las a desenvolver um senso de autoestima que depende da aparência delas.

Por mais adorável que seja vestir seu bebê com frufrus e postar fotos nas redes sociais ou para abastecer o armário com vestidos de princesa, lembre-se de que essas mensagens não lhe dão poder.

Tente usar palavras como “determinada”, “criativa”, “trabalhadora”, “corajosa” e “gentil” para descrever sua filha.

3. QUE ELA SEJA AVENTUREIRA 

Quando um garotinho sobe em uma árvore e grita como um pirata do alto, mal vemos. Mas se uma garota faz a mesma coisa, dizemos a ela que ela está falando muito alto e que deve se acalmar.

 Você deveria saber – e não fazer isso com sua filha, que é altamente espirituosa.

Isso está lhe fazendo um desserviço, porque está ensinando-a a diminuir a luz e a ser uma “boa garota”, enquanto todos os meninos da idade dela são incentivados a serem selvagens e livres.

Vamos permitir que nossas meninas sejam selvagens e livres também.

4. INCENTIVE O PAI A SE ENVOLVER E AMAR

O brilhante psicólogo e educador de pais australiano Steve Biddulph, autor de Raising Girls  e 10 Things Girls Need Most, destaca a importância do papel do pai na criação de meninas fortes e confiantes. 

Ele acredita que um pai é “o modelo para o que ela pode esperar de meninos e homens” e que um pai que ignora, menospreza ou critica sua filha a ensinará a esperar o mesmo tratamento de outros homens.

“As meninas querem a companhia de seus pais, ter discussões sólidas e brincar”, escreveu. 

5. PROCURE MODELOS FEMININOS FORTES

Tire um pouco de pressão, garantindo que sua filha tenha outros modelos femininos fortes em sua vida, incluindo avós, tias e amigos da família.

Essas mulheres serão uma fonte inestimável de amor, apoio e conselhos à medida que ela crescer.

6. FALE COM ELA SOBRE FEMINISMO

De acordo com Biddulph, quando sua filha está preocupada com meninos, seu corpo, sexo, ou interesses que ela está passando são “para meninos”, conhecer o movimento feminista pode ajudá-la a superar.

“Perceber que essa batalha tem sido travada há mais de um século e em todos os cantos do mundo, que não é apenas ela, é considerado um grande incentivo à saúde mental, porque a deixa com raiva, em vez de assustada ou inadequada, ”Ele disse ao The Independent .

“Você se sente parte de algo maior.”

Converse com suas meninas sobre como as coisas costumavam ser para as mulheres, até onde chegamos e até onde ainda temos que ir.

Leia para elas histórias de mulheres poderosas que mudaram o mundo.

7. CONVERSE COM ELA SOBRE SEXO

Muitos pais evitam conversar com as meninas sobre sexo e o fazem de qualquer maneira.

É importante conversar com as meninas sobre sua sexualidade desde tenra idade e ensiná-las que elas – e somente elas – são responsáveis ​​por seus corpos.

Quando tiverem idade suficiente, é preciso dizer a elas que têm direito a uma vida sexual satisfatória que não é apenas agradar a outra pessoa.

8. AJUDE-A A ENCONTRAR SUA PAIXÃO 

O psicólogo Peter L. Benson  chamou de “centelha” da criança – um interesse, paixão ou presente que, se nutrido, dá sentido e propósito à sua vida.

Ele até acreditava que crianças cujas faíscas foram incendiadas são mais propensas a evitar drogas, álcool, violência e outros caminhos negativos.

Seja futebol, pintando, criando coisas, tocando violino ou cuidando de animais, ajude sua filha a encontrar o que ela realmente gosta de fazer e incentive-a a prosseguir.

9. ASSISTA ESPORTES FEMININOS 

Escolha ativamente proteger sua filha dos padrões de beleza inatingíveis espalhados por toda a mídia e apresentá-la com imagens de atletas fortes, saudáveis ​​e talentosos.

Assista Serena Williams esmagar em Wimbledon, Danica Patrick correndo para a vitória no Grand Prix e Lindsey Vonn esculpir as encostas na Copa do Mundo.

10. ENSINE-A A SE DEFENDER

Arme sua filha com as habilidades necessárias para se defender de agressores desde a mais tenra idade.

Na pré-escola, você pode ensiná-la a dizer: “Pare, eu não gosto disso” e usar uma linguagem corporal forte, como colocar as mãos nos quadris. 

À medida que cresce, ensine-a a responder aos agressores de maneira não-emocional e a manter contato visual. Essa abordagem retrata a confiança e tira o poder do agressor.

E certifique-se de que ela saiba que sempre poderá procurar você ou outro adulto de confiança, se não conseguir afastar seus antagonistas sozinha.

Siga as dicas e tenha uma mulher forte e empoderada para enfrentar a grande batalha contra a disparidade de gênero!

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *