Mentes e organizações flexíveis podem prosperar em crises - Luiz Fernando Gama

Uncategorized

Mentes e organizações flexíveis podem prosperar em crises

Andrea W
Escrito por Andrea W em agosto 6, 2020
Mentes e organizações flexíveis podem prosperar em crises
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Estudos e exemplos apontam para a necessidade de pensamento criativo.

O ano de 2020 está sendo um período de grandes desafios e mudanças.

Mesmo que a poeira tenha se dissipado após as ondas de choque iniciais da pandemia terem diminuído, ainda existe uma ansiedade generalizada que penetra no nosso dia a dia. 

Talvez você não esteja dormindo bem ou tenha problemas para se concentrar no seu trabalho.

Talvez você seja mais esquecido do que o habitual, ou se encontre caindo em sulcos cognitivos dos quais você parece conseguir sair.

Você não está sozinho.

De acordo com uma pesquisa recente da Associação Americana de Psiquiatria, 36% dos americanos sentem que o coronavírus está afetando sua saúde mental, enquanto 59% dizem que está tendo um sério impacto na rotina.

Neste post iremos trazer os resultados.

TREINAR A ABERTURA 

Considerando o estado incerto da nossa economia global e da carreira das pessoas, é compreensível que estejamos nos sentindo mais no limite.

Em tempos de crise, tendemos a desligar emocional e mentalmente.

O medo e a ansiedade restringem nossa gama cognitiva para a criação de possíveis soluções para nossos problemas da vida profissional e nos obrigam a nos apegar ao familiar. 

Embora não haja nada de errado com o familiar, isso prejudica nossa capacidade de pensar fora da caixa e resolver os tipos de problemas complexos que estamos enfrentando atualmente.

Isso é especialmente preocupante para os líderes empresariais que se sentem pressionados a se adaptar a esse novo normal ou correm o risco de se tornar obsoletos.

Felizmente, a pesquisa mostrou que podemos nos treinar para responder a crises e desafios com maior abertura, flexibilidade e fluência.

Indivíduos e líderes de negócios podem promover a criatividade em suas organizações e comunidades para gerar avanços coletivos que nos ajudarão a sobreviver a essa crise e prosperar em uma era pós-pandêmica.

Mas primeiro, vamos dar uma olhada em como o medo e a ansiedade afetam o cérebro.

FOCO FRÁGIL 

Não é de surpreender que o medo e a ansiedade possam prejudicar nossa capacidade de pensar racionalmente ou de se concentrar.

Estudos mostraram que essas emoções negativas afetam nossa memória de trabalho – nossa capacidade de raciocinar em tempo real. 

A QUESTÃO É COMO SOMOS AFETADOS? 

Em 2016, pesquisadores na Universidade de Pittsburgh descobriram que a ansiedade realmente desativa os neurônios em uma região do cérebro chamada córtex pré-frontal.

Essa região é responsável por funções executivas, como regular emoções, calcular riscos e recompensas, resolver problemas e tomar decisões.

Como tal, a ansiedade efetivamente provoca um curto-circuito no processo de tomada de decisão – mais frequentemente  em nosso próprio prejuízo. 

Infelizmente, passamos uma quantidade excessiva de tempo submersa no tipo de pensamento negativo que gera ansiedade e medo.

Quando nossas mentes estão ociosas, somos propensos a “criar histórias inferiores”: histórias contadas sobre dúvidas pessoais, arrependimentos do passado e preocupações futuras. Imaginamos todos os cenários de pior caso possíveis e como responderíamos a eles.

Esse tipo de tranquilização ritualizada pode nos acalmar em momentos estressantes, mas prova ser ineficaz a longo prazo, porque nos condicionamos a pensar apenas no negativo.

Embora seja difícil mudar a maneira como pensamos, podemos mudar mais facilmente nossos relacionamentos com nossos pensamentos.

Em vez de sucumbir aos nossos medos, podemos observá-los. Em vez de reagir a crises, podemos criar oportunidades. 

É nesse espaço entre pensamento e ação que insights criativos – e soluções inovadoras – surgem.

CRIATIVIDADE É O ANTÍDOTO PARA A INCERTEZA 

A criatividade pode ser um recurso poderoso para lidar com o medo e a incerteza, porque estimula uma mentalidade exploratória e curiosa, e não reacionária.

É especialmente importante durante períodos de incerteza, porque a criatividade nos permite adaptar e sobreviver a mudanças importantes.

No entanto, com muita frequência, privilegiamos os resultados sobre a exploração e a produtividade sobre o processo. 

Embora a cultura americana elogie a inovação, muitas empresas, organizações e comunidades raramente criam condições para a verdadeira inovação florescer.

Tendemos a pensar que a criatividade é espontânea, inata ou exclusiva de um indivíduo.

No entanto, à medida que mais líderes, organizadores e advogados de negócios estão descobrindo, a criatividade pode ser cultivada.

Além disso, as mudanças mais impactantes também aproveitam os talentos e imaginações do coletivo. 

COMO PROMOVEMOS ESSAS HABILIDADES CRIATIVAS? 

Felizmente, você não precisa de treinamento formal para impulsionar seu pensamento criativo – para você, sua empresa ou sua comunidade.

Aqui estão apenas algumas maneiras pelas quais você pode treinar seu cérebro para estar mais aberto a novas possibilidades e promover a criatividade coletiva em seus negócios, organização ou vida cotidiana.

  1. FAÇA UMA PAUSA NO ESPAÇO ENTRE DUAS RESPIRAÇÕES 

Certas tradições da filosofia do Yoga procuram entender a natureza da consciência através do corpo e da respiração.

Uma prática nessa busca é aprender a fazer uma pausa no espaço entre duas respirações ou dois pensamentos.

Esse espaço foi referido como unmesa . É um espaço liminar do não-saber.

Embora muitas vezes ignorado por nossos cérebros ansiosos, ele está repleto de potencial. 

Da próxima vez que você se sentir sobrecarregado, encorajo-o a tentar este exercício de atenção plena: feche os olhos e preste atenção à respiração.

Concentre-se no espaço entre inalações e exalações, permitindo que a tagarelice nervosa de sua mente se esvaia. 

Tente ficar neste espaço às vezes desconfortável o máximo que puder e, quando sua mente começar a vagar, você poderá tropeçar em uma ou duas ideias.

Em seguida, tente interromper novamente entre o final de um pensamento e o início de outro.

Essa junção entre dois pensamentos, onde surge uma nova percepção, é onde reside a maravilha.

Ao explorar essa consciência, podemos aprender a acalmar nosso ansioso monólogo interior e permanecer mais abertos a possibilidades.

2. CRIE ESPAÇO PARA A INOVAÇÃO COTIDIANA

Para as pessoas inovarem, precisam de espaços seguros para serem criativas.

Na era do COVID-19, esse pode ser um espaço virtual, mas tudo o que importa é que seja dedicado inteiramente à exploração sem julgamento. 

Dê às pessoas – seus funcionários, colegas, estudantes ou filhos – o tempo e o espaço para serem criativos, bem como a garantia de que não haverá penalidade ou punição por compartilhar suas idéias. 

Convide pessoas com perspectivas e antecedentes diferentes para incentivar conexões mais criativas.

E talvez o mais importante, certifique-se de que os participantes sintam que suas vozes são ouvidas e que suas idéias são valorizadas.

3. INCENTIVE A FLEXIBILIDADE 

Mesmo meses depois dessa pandemia, nossas vidas estão em constante fluxo.

Estamos sujeitos a mudanças culturais e políticas que podem frustrar nossos planos ou adiar prazos.

Tente ser sensível às necessidades em constante mudança das pessoas ao seu redor e incentive as comunicações abertas – online e por telefone – para que as pessoas se sintam à vontade para compartilhar suas provações e triunfos. 

Permita distrações ocasionais e conversas tangenciais durante as reuniões para dar espaço à sua equipe para respirar, experimentar e aprender.

Você pode se surpreender com a clareza ou novas ideias que podem advir de discussões aparentemente não relacionadas.

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *