Modelo de Negócios, Startups e Investimentos foram o tema do CEO da Startse

Artigos

Modelo de Negócios Startups e Investimentos foram o tema do CEO da Startse

Professor Gama
Escrito por Professor Gama em abril 12, 2017
Modelo de Negócios Startups e Investimentos foram o tema do CEO da Startse
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Modelo de Negócios, Startups e Investimentos, foram os assuntos do CEO da Startse em evento que tratou das novidades do Vale do Silício no Brasil.

Startups, Modelo de Negócios e Investimentos foram o tema do CEO da Startse
Startups, Modelo de Negócios e Investimentos foram o tema do CEO da Startse

 

Será que 01 de Abril foi uma escolha simbólica ou aleatória?

startup modelo de negócios e investimento
startup modelo de negócios e investimento

 

Startups, investimentos e modelo de negócios, foram pontos fortes  para quem Compareceu no Silicon Valley Conference e teve a oportunidade de degustar o que se tem de mais atualizado vindo do Vale.

A frente desse evento memorável, que ajudou empreendedores brasileiros e pensarem o que podem trazer de inovação para seus negócios, esteve todo o time da Startse.

A Startse é a maior plataforma brasileira de incentivo às startups, com sede também no vale do silício operação ministrada pelo sócio Mauricio Benvenutti.

Igualmente promovem treinamentos on-line e presenciais de alto valor, aproximando investidores anjos, aceleradoras, incubadoras dos empreendedores e startups em criação, ou em fase de escala.

A Startse do seu nascedouro até a atual fase de plataforma de startups e ecossistema de empreendedorismo, tem como grande apoiador e realizador, o sócio e CEO Pedro Englert.

E como não podia ser diferente, esse foi presença ativa no evento Silicon Valley Conference ocorrido no dia 01 de abril, em São Paulo.

Pedro Englert trouxe seus insights sobre a importância da conexão, inovação, Lei de Moore,  inteligência artificial e investimentos nessas áreas, na perspectiva do ROI e Custo

Com vastos conhecimentos em investimentos, vamos às suas considerações, mas antes conheça a história do frustrante ano sabático de Pedro Englert.

Do Ano Sabático frustrado a Investimentos na Disrupção

Startup
Startup

 

Nas palestras de Pedro Englert, ele traz uma história muito particular que fez ele sair do Mercado Financeiro, para mergulhar no universo das Startups e Investimentos nesse novo Modelo de Negócios, sem jamais buscar isso.

Pedro Englert, junto com Mauricio Benvenutti e Marcelo Masionnsave se dedicaram em Porto Alegre, em longos anos a transformar a XP investimentos, na potência que se tornou como Plataforma de Investimentos.

Relata Englert que após 10 anos no agressivo Mercado Financeiro, e ao fim de 2015, ao desligar-se da XP Investimentos e da Infomoney, quis ter seu famoso “1 ano sabático” de descanso com a família, e viajar pelo mundo

Contudo para sua (in)felicidade escolheu a primeira parada como o Vale do Silício, na Califórnia, onde encontrou os ex-colegas de mercado, Mauricio Benvenutti e Marcelo Masionnsave.

Para sua curiosidade e espanto se deparou com as inovações do momento, da velocidade da inovação, do conceito de modelo de negócios sendo desafiados por startups hoje na condição de unicórnios (empresas bilionárias).

De experiente especialista financeiro ao choque de realidade, sobre o Vale do Silício:

“O que está acontecendo de transformação lá vai impactar a vida de todos de maneira muito forte”

Como eu vou preparar meus filhos para um mercado de trabalho que não existe hoje, para seguir profissões que nem sequer foram inventadas?”,

Foi o fim do desejo de 1 ano de férias, e a conclusão que se tirasse esse descanso nunca conseguia recuperar, o tempo perdido nem o conhecimento que surgiu a sua frente.

Nasceu após essa visita a Plataforma Startse, veja mais sobre a Startse nessa matéria completa.

Agora analisemos os pontos altos que Englert, destacou no evento ao vivo:

Novo modelo de negócios com Startups

Embora o Brasil experimente há 20 anos o comércio online, a atual forma que os meios digitais estão são compreendidos por poucos.

Especialmente para empresários que acabam investindo apenas no varejo tradicional.

Pedro Englert questionou isso ao falar do número de presentes no evento ao vivo: mais de 1300 pessoas.

Seguimos um Modelo de Negócios Tradicional?

Vocês viram algum vendedor nosso?

Vocês visitaram alguma loja física?

Vocês receberam alguma ligação nossa para estar nesse evento? indagou Pedro Englert.

Uma mudança por parte dos empreendedores deve ser observada, lembrou o CEO, quando trouxe a importância das conexões digitais hoje para o novo modelo de negócios.

E mostrando que segue a risca o Empreendedorismo Digital e uso do Conceito de Funil de Marketing e as Campanhas de FacebookAds, revelou que as inscrições deram-se apenas pelo uso da Internet com essas técnicas.

CAC, LT e Investimentos em Marketing Digital

Outro ponto chave ressaltado por Pedro Englert, foram os conceitos essenciais para Startups avaliarem:

  • capacidade de investimentos,
  • capacidade de escalabilidade do produto ou serviço.

O Conceito de CAC, Custo de Aquisição do Cliente foi referido.

E isso tem um peso muito grande, para tomada de investimento por parte dos investidores anjos, ou menos investimento pelos sócios fundadores.

Se a Startup apenas tiver um tipo de produto ou serviço, provavelmente o CAC será elevado ou empata a conta, contudo se ela tiver uma cadeia de novos produtos ou soluções, começa a estratégia perfeita.

Igualmente o Life Time do cliente, pode representar o grande lucro do negócio, e a importância do modelo de negócios ser atualizado, aberto, descentralizado e inovador.

Versões Testes, Versões Pagas, Versões Pagas Premiuns, Mentorias, Masterminds, são exemplos de uma cadeia de produto, que serão consumidos pelo mesmo consumidor.

Mesmo que o CAC seja elevado no início, o LF vai medir o crescimento de qualquer modelo de negócios, trazendo mais lucro, e facilidade de escalar-se novos produtos.

Do Vale do Silício como experiência a sua Startups

A paixão e a estada no Vale do Silício há alguns anos atrás, fez o investidor Pedro Englert dissolver sua inquietação aqui no Brasil quando em 2015, se uniu ao time da Startse.

A plataforma que hoje conecta empreendedores a investidores, mentores, aceleradoras e grupos de investimento.

Um dos serviços que a Startse contém chama-se Silicon Valley Experience, onde um grupo de empreendedores tem 5 dias de imersão de negócios, em varias empresas do Vale conveniadas a Startse

O que esperar desse produto da Startse:

  • Participação direta do sócio Mauricio Benvenutti;
  • Visita às Melhores Empresas do Vale;
  • Pitch de Vendas;
  • Mentoria;
  • Networking;
  • Aceleração de Negócios;
  • Construção de novo modelo de negócios;
  • Tonelada de Insights.

E falar do Vale é sempre uma grande inspiração para o empreendedor, onde destacou a importância do projeto que a Startse comanda de criar oportunidade a grupos de empresários brasileiros para conhecer o Vale do Silício.

Redução do custo do conhecimento propicia abertura de Startups

 

Um ponto chave foi a questão de como tudo virou Commodities, e consequentemente o custo da tecnologia.

Englert relembra que há 9 anos aproximadamente, abrir um empresa de tecnologia era algo extremamente caro, na casa dos U$ 5 milhões de dólares.

Atualmente com menos de R$ 5.000,00 reais, qualquer startup de tecnologia tem iguais condições de existência.

Com a crescente demanda de desafios tecnológicos no mercado de trabalho, os profissionais tem se dado conta de que é preciso conquistar novas habilidades para a exigência atual das empresas.

E isso foi traduzido pelo investidor, quando afirmou que a defasagem do conhecimento que antes era de 8 anos,

hoje está reduzida a 5. “O ranking das empresas mais valiosas do mundo caiu de 60 para cerca de 8 anos”, completa.

Outra importante observação foi a questão da redução de investimento para se montar uma empresa.

A internet e as redes sociais possibilitam que futuros empresários, com ideias promissoras, possam investir mesmo com reduzido capital.

O uso das tecnologias aliado ao empreendedorismo têm oportunizado muitas pessoas a abrir o seu empreendimento.

“A velocidade do crescimento tecnológico, baseado na famosa Lei de Moore,  torna tudo mais barato”, ressaltou.

Inteligência artificial deve superar computadores no futuro

Em se falando de tecnologia, tudo é possível e a  inteligência artificial (AI) entra em outros rumos.

Destacou um dado alarmante, 60% dos jovens que estamos formandos não terão emprego no futuro, veja o artigo completo sobre esse tema e pesquisa aqui.

Ou seja os modelos de negócios que essas profissões hoje se fundam, já já deixarão de existir, por conta da automação e inteligência artificial.

Fez referência aos avanços da inteligência artificial, relatando que não vivemos mais na era das hipóteses científicas, mas na realidade, essa tecnologia se aprimora dia a dia.

O que antes previa focar a AI na imitação do comportamento humano, atualmente ela está voltada a criar máquinas capazes de realizar tarefas impossíveis para uma pessoa.

E nesse sentido, Englert lembrou que existe uma previsão que até o ano de 2030, a Inteligência artificial deverá superar 100 computadores e num universo mais longo, ou seja, até 2100, ela poderá chegar a totalidade dos computadores.

O que irá acontecer não sabemos, mas muitas das previsões e ficções em torno do avanço tecnológico no mundo têm se concretizado.

Convergência Tecnológica e as novas habilidades

A convergência tecnológica chegou e vem provando que para estarmos em sintonia com este universo é preciso “correr atrás”.

Focar nossas habilidades em melhores conhecimentos e maior domínio das potencialidades tecnológicas são um desafio, em especial para o mundo do trabalho.

No âmbito empresarial, a convergência aproveita a integração das várias tecnologias já empregadas e com isso, faz um melhor aproveitamento dos recursos.

Mas nesse curso, novos conhecimentos são necessários e muitas habilidades são desenvolvidas.

E no Vale do Silício isso já é uma realidade.

De acordo com o CEO, os pontos altos dessa convergência tecnológica são as habilidades do futuro, que são realidade por lá.

Entre elas, as seguintes:

  • design thinkin;
  • domínio de marketing digital;
  • programação, data Scienci AI;
  • métodos ágeis Lean;
  • Novas Tecnologias.

Bem, depois de tantas considerações apresentadas pelo CEO da StartSe relacionadas ao mundo do trabalho e das organizações, não é mais importante apenas “correr atrás da máquina”, mas andar junto com ela.

Então, vamos lá!

 

Deixe o seu comentário!

comentários

Advogado e Empresário. Diretor de Marketing da Agencia Professor Gama

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *