&noscript=1"/>

Desenvolvimento Pessoal

Por que você precisa parar de “consertar” seu sofrimento emocional

Andrea W
Escrito por Andrea W em novembro 6, 2019
Por que você precisa parar de “consertar” seu sofrimento emocional
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nossos pais, professores, instituições religiosas, líderes políticos e muitas sociedades operam com a crença de que a vida é sobre consertar nosso sofrimento emocional, melhorar e lutar por um estado ideal.

No momento em que nossas mentes puras da infância estavam cheias de crenças e julgamentos sobre a vida, foi quando começamos a nos tornar fixadores humanos em vez de seres humanos. 

Em vez de conhecer a vida como ela é, começamos a ver a vida através de uma lente de “isso é bom” e “isso é ruim”. Em vez de ver a interconectividade de tudo, começamos a pensar de maneira linear, rígida e mecanicista sobre a vida .

É claro que, embora isso fosse necessário para o nosso crescimento evolutivo, acabou atrapalhando nossa capacidade de nos abrir para a vida e nos encorajou a estar constantemente perto de tudo ao nosso redor e dentro de nós.

Uma das maiores experiências de que nos isolamos na vida é a do sofrimento emocional. e neste artigo, iremos falar sobre isso. Como o evitamos e e lidamos com ele. 

A ETERNA FUGA DO SOFRIMENTO EMOCIONAL 

Compreensivelmente, é nosso instinto primordial evitar o que nos machuca. E a maneira número um de evitar nosso sofrimento emocional – ao mesmo tempo em que acreditamos que estamos lidando com ele “de forma eficiente” – é tentando “consertar”.

Tentamos consertar nossa angústia emocional e sofrimento de várias maneiras.

Tentamos consertar nosso sofrimento emocional de maneira autodestrutiva, como por meio de drogas, álcool, comida e outros vícios. Chamamos isso de “evitar” ou “entorpecer” a dor. E tentamos consertar nosso sofrimento emocional de maneiras socialmente incentivadas e aceitáveis, como lendo livros de auto-aperfeiçoamento, indo a oficinas e vendo psicólogos.

As formas socialmente prescritas de lidar com a dor são muito úteis e importantes. As pessoas são encorajadas a seguirem esse caminho, se isso lhes interessar. Mas, embora essas formas socialmente prescritas nos ajudem a gerenciar, entender, liberar temporariamente e lidar com a dor, às vezes para que possamos funcionar completamente “normalmente” novamente, elas não “consertam” nosso sofrimento emocional.

Além disso, não é por isso que lemos e ouvimos todos esses especialistas em primeiro lugar: encontrar algum tipo de panacéia, algum tipo de “correção” permanente para o nosso sofrimento emocional?

FERRAMENTAS PARA ACALMAR O SOFRIMENTO EMOCIONAL

Mas se você estiver na esfera espiritual de auto-aperfeiçoamento há algum tempo, perceberá que a busca de consertar sua dor, de se tornar completo novamente, é interminável. Certamente, existem muitas ferramentas brilhantes por aí, mas nenhuma delas parece boa o suficiente. Caso contrário, por que você continuaria passando de livro para livro para professor para professor?

O perigo de tentar “consertar” seu sofrimento emocional

Em nossa loucura inocente, acreditamos que é possível “consertar” o sofrimento emocional, assim como é possível consertar um carro destruído ou um armário de cozinha velho e desagradável.

ALÍVIO ESPIRITUAL

Acreditamos que, se procurarmos bastante e tentarmos várias técnicas diferentes, finalmente encontraremos a “solução” perfeita para todos os nossos problemas. Essa missão nos leva a círculos e pode continuar por muitos anos, até vidas inteiras. Mas no final, acabamos constantemente querendo mais. E é essa sede eterna de uma “solução” que nos leva ao vício espiritual.

O que sentimos falta ao longo do caminho é que, quanto mais tentamos consertar nosso sofrimento emocional, mais nossa angústia se aprofunda e aumenta.

Quanto mais tentamos consertar a nós mesmos, mais quebrados nos sentimos.

Isso não é um paradoxo estranho ? Que ironia.

A razão pela qual é impossível “consertar” o sofrimento emocional é que o próprio ato de tentar consertar nossa dor piora. O próprio ato de tentar mudar o que estamos sentindo é uma forma de resistência, e quanto mais resistimos, mais nosso sofrimento persiste.

Quanto mais pensamos “Eu não deveria me sentir assim, preciso mudar isso”, mais profundamente dirigimos nosso desespero. E quanto mais nos desesperamos, mais intensamente procuramos uma solução para o nosso problema.

Você pode ver o ciclo que emerge? Você pode ver como a tentativa de corrigir a dor realmente piora?

A RESPOSTA PARA NOSSOS SOFRIMENTOS ESTÁ ONDE?

A única maneira de terminar o ciclo de dor, dependência espiritual e desejo constante de “consertar” a si mesmo é cortejando suas emoções.

Cortejar suas emoções é estar atento a elas, ouvi-las, honrá-las e deixá-las derreter em seu coração – como faria com um amante.

Sua ansiedade é ansiosa por si mesma. Sua angústia é angustiada consigo mesma. Seu ódio é odioso para si mesmo. Sua solidão se sente sozinha consigo mesma. A única maneira de se libertar do seu sofrimento emocional é abrir seu coração a todas essas emoções incondicionalmente.

Todo sentimento doloroso e tortuoso deve descansar em seu coração. Toda sensação perturbadora deve ser aceita exatamente como é, sem que você queira que ela mude. Cada uma de suas emoções deve ser satisfeita, sentida com compaixão e permitida a passagem segura em seu coração.

O amor é a energia do coração e é a única porta pela qual suas emoções dolorosas podem passar. Quando você tenta “consertar” essas emoções, você as mantém presas no corpo. Você está basicamente dizendo a emoção dolorosa que está sentindo: “Você não é bom o suficiente, eu não gosto de você, quero me livrar de você”. Que mensagem isso envia para suas emoções? Que mensagem isso envia para si mesmo?

SEU CORAÇÃO TEM A SOLUÇÃO

Sua angústia emocional anseia por amor, por verdadeiro amor incondicional. Sua dor tem sede de conforto, consolo e carinho. Em vez de enviar à sua dor a mensagem de que você a odeia, você deve tratá-la como uma mãe, pai, amigo ou amante.

Abra seus braços para essa dor, permita que a compaixão a vista, e ela derreterá pela porta do seu coração e será liberada. Seu coração tem sua própria inteligência. Isso já foi comprovado cientificamente pelo Heartmath Institute.

A inteligência do seu coração sabe como superar o medo. A inteligência do seu coração é amor, e o amor abraça as emoções mais sombrias que você tem. Esse amor de que falo não é condicional – ele não espera nem deseja nada de suas emoções.

Tudo o que deseja é expressar sua abundância transbordante de empatia, bondade e benevolência. Todo o coração deseja é mostrar amor. Para mostrar amor, você precisa confiar na sabedoria do seu coração. Você precisa estar disposto a se abrir e sentir a dor que está tentando resolver.

Somente então o amor poderá emergir como sua mãe, pai, amigo ou amante interior. O amor não é apenas suavidade. O amor não é um clichê da nova era. Amor é aceitação implacável, paixão feroz e abertura intensa.

O amor pegará sua dor nos braços e a estimará com o amor de uma mãe por seu filho recém-nascido. O amor embalará e revestirá sua dor, e ouvirá suas palavras moribundas com devoção e fervor insuperáveis. O momento em que você sente esse amor palpitar em seu peito, em sua alma, é o momento em que encontra a porta para a libertação de sua dor.

Como você lida com suas dores, seu sofrimento emocional? Comente!

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *