Como promover a resiliência das crianças à pandemia do COVID-19

Desenvolvimento Pessoal

Como promover a resiliência das crianças à pandemia do COVID-19

Andrea W
Escrito por Andrea W em abril 13, 2020
Como promover a resiliência das crianças à pandemia do COVID-19
Junte-se a mais de 127.133 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A pandemia do COVID-19 e seus estressores sociais e econômicos associados podem prejudicar o desenvolvimento e o bem-estar das crianças.

Não apenas devem lidar com grandes mudanças na vida cotidiana, como distanciamento físico e confinamento doméstico, mas suas famílias podem ter dificuldades para atender às suas necessidades físicas e emocionais básicas.

Taxas de pobreza, desemprego dos pais problemas de saúde mental e abuso de substâncias, abuso infantil e negligência e violência por parceiro íntimo tendem a subir durante desastres.

As crianças podem não receber apoio crítico de que precisam quando os serviços comunitários são limitados.

Se você está pensando sobre os efeitos da pandemia nas crianças, vamos ajudá-lo com isso e mostraremos ainda como auxiliá-las nesse momento.

APOIO DA FAMÍLIA E COMUNIDADE NA RESILIÊNCIA DAS CRIANÇAS NA PANDEMIA 

A boa notícia é que, ao longo de quatro décadas de pesquisa em resiliência, os fatores de proteção podem proteger as crianças dos danos e aumentar as chances de elas se adaptarem positivamente a adversidades como a pandemia do COVID-19.

Famílias e comunidades podem trabalhar juntas para promover esses fatores de proteção.

FATOR DE PROTEÇÃO 1: CUIDADO SENSÍVEL E RESPONSIVO

O principal fator na recuperação de uma criança de um evento adverso ou traumático é a presença de um adulto sensível e atencioso.

Para apoiar o desenvolvimento saudável da criança durante o COVID-19, crianças e jovens precisam manter conexões regulares apropriadas à idade com adultos importantes em suas vidas.

Por exemplo, crianças pequenas podem precisar de mais tempo presencial para conexão do que crianças e adolescentes mais velhos, capazes de se conectar virtualmente.

COMO PAIS E CUIDADORES PODEM AJUDAR?

Passe um tempo de qualidade com as crianças.

Mesmo curtos períodos de tempo brincando, lendo, saindo ao ar livre e conversando podem reforçar a sensação de segurança e proteção das crianças em tempos de incerteza ou medo.

Mantenha-se conectado mesmo quando a separação física for necessária por razões de segurança.

Defina horários para as crianças conversarem com cuidadores distantes usando bate-papos por vídeo, telefonemas, e-mails, textos ou cartas online.

Essas conexões são importantes para ajudar as crianças a se sentirem seguras e apoiadas durante a pandemia.

FATOR DE PROTEÇÃO 2: ATENDENDO AS NECESSIDADES BÁSICAS

Atender às necessidades básicas de crianças e famílias – como comida, abrigo, roupas e cuidados médicos e de saúde mental – é essencial para proteger o bem-estar das crianças em momentos estressantes. 

A mobilização ativa de recursos tangíveis para as famílias durante a pandemia é especialmente importante.

Aqueles que enfrentam riscos adicionais, como instabilidade econômica, perda de emprego e necessidades de saúde ou saúde mental.

COMO PAIS E CUIDADORES PODEM AJUDAR 

Saiba que pedir ajuda é um sinal de força e desenvoltura, não fraqueza.

  • Identifique serviços locais úteis, escola ou programa de educação e cuidados infantis de uma criança; ou por meio de sites e linhas diretas de agências locais, centros de recursos familiares ou especialistas em recursos da comunidade.
  • Ajude as famílias a identificar serviços comunitários que estão operando por meio de divulgação direta a famílias vulneráveis ​​e campanhas de conscientização pública.
  • Reduza as barreiras de acesso aos serviços, aumentando as opções de prestação de serviços e realizando ações direcionadas a famílias marginalizadas e vulneráveis, incluindo aquelas afetadas pelo racismo e estigma relacionados ao COVID-19 .

FATOR DE PROTEÇÃO 3: APOIO EMOCIONAL ÀS CRIANÇAS

Mudanças emocionais e comportamentais em crianças são esperadas durante uma pandemia, pois todos se ajustam a mudanças nas rotinas diárias.

Algumas crianças podem mostrar sinais de sofrimento emocional (por exemplo, aderência, ansiedade, tristeza, raiva).

Mas com forte apoio emocional de adultos e comunidades, a maioria das crianças retornará ao seu nível típico de funcionamento antes da pandemia.

Os pais e outros cuidadores podem:

  • Usar os 3 Rs (resseguro, rotinas, regulação): tranquilizar as crianças sobre a sua segurança e a segurança de seus entes queridos; 
  • Mantenha rotinas previsíveis (por exemplo, dormir, comer, aprender, brincar); 
  • Apoie as habilidades de regulação das crianças,  ajudando-as a gerenciar sentimentos difíceis (por exemplo, respiração profunda, movimento, tempo de silêncio); 
  • Reserve um tempo para checkins emocionais (por exemplo, ofereça oportunidades para as crianças fazerem perguntas, falarem sobre seus sentimentos e obterem informações e apoio adequados à idade).

ENFATIZE O POSITIVO

Histórias de esperança e resiliência (por exemplo, pessoas ajudando umas às outras ou animais) fornecem um importante contrapeso à negatividade e ao medo sobre a pandemia.

Se os livros não estiverem disponíveis em casa, tente acessar livros online gratuitos para crianças e adolescentes.

Outro ponto: facilite o acesso das famílias a visitas domiciliares, intervenção precoce, programas de saúde mental infantil e familiar, professores e outros serviços, oferecendo opções remotas para permanecer em contato com crianças e suas famílias (por exemplo, contato por telefone ou vídeo, incluindo telessaúde ).

FATOR DE PROTEÇÃO 4: APOIO E BEM-ESTAR DO CUIDADOR

Quando as necessidades dos pais e de outros cuidadores são atendidas, é mais provável que as crianças recebam cuidados sensíveis e responsivos.

Proteger a saúde mental e física dos adultos é uma estratégia eficaz para promover o bem-estar das crianças durante e após uma pandemia.

Os pais e outros cuidadores podem:

Sempre que possível, priorize tempo e energia para atividades que sejam mais importantes e significativas para os cuidadores e suas famílias.

Como por exemplo, atividades divertidas com a família em casa, comemorando aniversários e outros marcos importantes, conectando-se com amigos.

Concentre-se no que pode ser razoavelmente realizado sob as circunstâncias.

Faça pausas nas responsabilidades de trabalho e cuidado:

Mesmo curtos períodos de tempo em autocuidado (por exemplo, descanso, exercício, atenção, leitura, oração) podem beneficiar toda a família.

Entre em contato com familiares, amigos, grupos religiosos e profissionais que possam oferecer suporte para gerenciar os desafios de saúde emocional e mental, como estresse, ansiedade e depressão .

FATOR DE PROTEÇÃO 5: CONEXÃO SOCIAL

Conexões sociais positivas são importantes fatores de proteção para crianças e adultos durante uma pandemia.

Embora o contato pessoal possa ser limitado, o distanciamento físico não deve se transformar em isolamento social, que é um fator de risco para abuso e negligência de crianças, uso de substâncias por adultos e jovens e violência familiar.

Durante desastres, as crianças interagem com menos frequência com adultos que podem reconhecer e relatar sinais de problemas em uma família.

Monitorar a segurança das crianças é especialmente importante durante a pandemia.

Os pais e outros cuidadores podem:

  • Passe tempo virtual regularmente com familiares e amigos (por exemplo, online ou por correio, dependendo dos recursos de cada família).
  • Incentive as crianças mais velhas e os adolescentes a permanecerem virtualmente conectados socialmente.
  • Quando o tempo for limitado,  concentre-se nas conexões com a família, amigos, figuras religiosas, prestadores de serviços ou outras pessoas que ofereçam os tipos de apoio mais úteis.
  • Conecte-se a outras pessoas através de hobbies e oportunidades comuns para ajudar a comunidade, o que pode ser gratificante e significativo (por exemplo, doar suprimentos, escrever cartas para idosos).
  • Entre em contato com outras famílias com crianças para verificar seu bem-estar e oferecer apoio.

Como vimos, preste atenção às crianças e ajude-as a passar por esse período de pandemia com atenção e carinho.

Não é um momento fácil para ninguém.

 

Deixe o seu comentário!

comentários

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *